Princípios Básicos da Manutenção.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Princípios Básicos da Manutenção.

Mensagem  dumarcelo em Ter Fev 17, 2009 11:09 am

A manutenção de equipamentos passa por fases bem distintas e precisa seguir à risca determinados conceitos para facilitar a execução do trabalho, de modo que o trabalho seja recolocado em funcionamento no menor prazo e pelo menor custo. É interessante entender estes conceitos para ir diretamente e preciosamente no ponto a ser mexido - e em nenhum outro. Imagine um médico cirurgião, que faz uma série de exames, testes e tratamentos em seu paciente antes de resolver partir para cirurgia propriamente dita que deve ser planejada em detalhes para que se perca o menor tempo possívele que saia tudo a concento.
Em manutenção de informática é a mesma coisa: o técnico parte da análise da situação como um todo até ir direta e precisamente no ponto que precisa ser mexido para sanar o problema. Veja algumas idéias importante para quem lida com a manutenção.


Quando é que começa e acaba uma Manutenção ?

Muitos técnicos pensa que o conserto começa quando estão com o aparelho defeituoso na bancada, com a chave de fenda na mão e prontos para desmontar o "paciente". Porém, a nosso ver, a manutenção já se iniciou. A partir de então cabe ao profissional tomar as providências de maneira correta, precisa e coordenada para chegar ao bom término do serviço.
E como é este término? A situação ideal é que o aparelho fique funcionando, o cliente esteja contente e, claro, o técnico saia com seu pagamento no bolso, num valor justo e bom para todos.

O equipamento já funcionou bem algum dia.

Este é um princípio básico da manutenção, valendo para qualquer tipo de equipamento. Vamos entender: um aparelho em manutenção é diferente de um aparelho novo, que está sendo posto em funcionamento pela primeira vez.
Um exemplo: é muito comum, quando se monta um novo computador, que alguma peça tenha vindo de fábrica já com defeito ou seja incompatível com outros componentes do sistema. Não significa que esteja defeituosa mas que, simplismente, não funciona bem no conjunto ou são incompatíveis.
Mas isto só acontece em micros novos. Deve-se ter sempre em mente que o computador que estamos consertando é usado e, portanto, JÁ FUNCIONOU BEM ALGUM DIA e cabe ao técnico de manutenção descobrir porque ele deixou de fazê-lo. Pode ser algum componente defeituoso, mau contato, programas mal instalados, softwares defeituosos, vírus ou dezenas de outros possíveis fatores, sendo esta tarefa: descobrir o que interrompeu o perfeito funcionamento do equipamento.

Resolva o Problema e não o sintoma

Voltando ao exemplo do médico:imagine que você está doente e vai procurá-lo. Descreve os sintomas que está sentindo, cabendo ao médico diagnosticar a causa do problema e buscar a cura para ela. De nada adianta receitar um remédio para dor de cabeça se o problema é causado por uma sinusite, pois é preciso atacar a causa do problema e não o sintoma.
Voltando para a informática, podemos citar um caso real. determinado cliente nos procurou e reclamando que seu micro estava travando. Durante as verificações básicas, que mostramos a seguir, constatamos que o travamento ocorria quando o microprocessador passava dos 70°C e que este defeito já havia sido detectado anteriormente por outro técnico o qual, na tentativa de remediar a situação, colocou uma ventoinha na traseira do gabinete. O problema foi resolvido momentâneamente, porém, com o forte calor do verão, mesmo esta solução chegou ao seu limite, levando o sistema ao colapso.
Analisando o problema, chegamos à conclusão de que o processador não deveria atingir aquela temperatura.
Revisando o sistema, notamos que uma das prisilhas do cooler estava quebrada com isso não havia um bom contato térmico entre o processador e o dissipador de calor, dificultando a transferência de calor entre ambos, mesmo estando aparetemente certo. Com a substituição do cooler a temperatura voltou ao normal, dispensando inclusive o ventoinha adicional. Este exemplo prático: o primeiro técnico tratou somente do sintoma, não procurou a causa do problema.

Utilize ferramentas adequadas

Quem lida com manutenção sabe que numa oficina entra uma grande variedades de aparelhos, de procedências diversas.
Igualmente, variam muito as técnicas de montagem e desmontagem dos equipamentos e de seus componentes. Justamente por isto, as oficinas precisam ter um pequeno arsenal de ferramentas (vide artigo "O que tem na mala do técnico", nesta mesma edição).
Para fazer um serviço realmente profissional, sem avariar o aparelho e perdendo o menor tempo, o ideal é usar a ferramenta certa para cada operação.
Por exemplo: se o aparelho exigir uma chave tipo torx ou philips não tente forçar com uma chave de fenda ou alicate, que vão fatalmente estragar a cabeça do parafuso e dar uma aparência amadora ao seu serviço, mesmo que este tenha sido tecnicamente bem feito.

Tenha seu próprio ferramental

Digo sempre que um bom técnico deve investir em ferramentas, quer trabalhe por conta ou como funcionário.
Procure adquirir a ferramenta adequada, mesmo que seja para um único aparelho que deu entrada na oficina. Uma vez com ela na bancada certamente vamos descobrir mais usos para a mesma para aumentar nossa produtividade
Todo profissional deve manter e zelar pelas suas ferramentas e instrumentos de trabalho, afinal é com isso que ganha a vida. Sabemos muito bem que, principalmente pra quem começa na carreira, é difícil fazer os investimentos necessários para ter o instrumental mínimo, porém é uma meta a ser alcançada. Este é um esforço que vai se pagar com juros ao longo de toda uma vida profissional. Tenha suas próprias ferramentas de boa qualidade e bem conservadas. Não se envergonhe de ter ciúmes dela e de não querer emprestar para os outros. Cada um que cuide de suas próprias ferramentas !!

Faça aparecer o defeito ANTES de mexer no aparelho

Falaremos disto mais adiante, mas é importante citar aqui pois é procedimento básico. tem muito técnico por aí - geralmente os menos experientes - que, ao se deparar com um equipamento supostamente defeituoso, já vai logo desmontando ou instalando algum programa.
Calma! Lembre-se das técnicas de primeiros socorros: é preciso estabilizar o acidentado ou enfermo, depois é que se vai tratar do problema.
Quando se deparar com um equipamento defeituoso, antes de mais nada ligue-o e faça acontecer o defeito reclamado. Se você for logo mexendo em tudo não saberá se o defeito realmente foi reparado ou se, na verdade, nunca existiu.

dumarcelo

Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/02/2008
Idade : 39

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum